Dirigentes do SINTTEL-RS participaram, na tarde da terça-feira (13), do seminário da FITRATELP “Comunicação Sindical na Era Virtual”. Durante o encontro foram debatidos temas como as novas formas de comunicação no mundo virtual e a importância de ocupação deste espaço pelos Sindicatos.

Após uma apresentação cultural, representantes da Federação saudaram os participantes e destacaram a importância da iniciativa. “Estamos fazendo do limão uma limonada, disse Brígido Roland Ramos, presidente da entidade. Ele se referia ao momento difícil de pandemia, que tem impedido as atividades de formação e de luta da categoria, mas que tem criado a oportunidade de um amplo debate, com participação nacional, e praticamente sem custos de deslocamentos, utilizando as ferramentas virtuais.

Já a diretora Lourdes de Fátima Pires, destacou que as palavras da música inicial do encontro, que falava em rebeldia, sabedoria e utopia era um recado bem-vindo. “É isso que precisamos buscar em nossas vidas e no movimento sindical. Precisamos nos reinventar e a gente é capaz disso. Que tenhamos força. sabedoria e rebeldia para superar este momento difícil que estamos passando” pontuou ela.

A Secretária de Formação, Maria de Fátima Lima Castro, responsável pela organização do evento, lembrou que todos têm necessidade de aprender a se comunicar e frisou que o encontro era uma forma de contribuir com a formação também para outros sindicatos.

Antes dos palestrantes, Fernando Diniz, diretor do SINTTEL-DF, destacou que o governo determinou que os telefônicos eram categoria essencial, mas não olhou para estes trabalhadores para tomar a vacina e frisou que “se queremos um mundo melhor, temos sim que continuar na luta”, acrescentou destacando a importância do encontro.

O primeiro palestrante, o publicitário Marcell Aquino, falou que a comunicação sindical na era virtual envolve diversos aspectos. E, inspirado por uma música do Belchior, lembrou “que o novo sempre vem”. “Muitas pessoas estão apegadas ao passado, que num contexto histórico, serve como referência para contextualizar, analisar e interpretar as novas tecnologias. Mas não podemos ficar presos ao passado e esquecer que as novas tecnologias surgem e provocam novas ações”, disse.

Ele fez um resgate do histórico da evolução da internet, falou sobre as principais redes sociais e incentivou todos a ocupar este espaço virtual. “Os sindicatos têm que ocupar as redes, construir suas narrativas usando as várias formas e plataformas”, ensinou.

Elara Leite, também palestrante no encontro, falou sobre as funções das redes sociai e citou que entre elas estão a emancipação da sociedade civil, se constitui em um canal dos movimentos e entidades da sociedade civil de modo geral, que usam as redes para trazer suas demandas, entre outras funções. “É um espaço onde todos os atores sociais podem estar presentes”, pontuou.

Para ela, as redes também são um espaço que possibilita uma democracia participativa. “De um modo geral podemos ter este aspecto positivo das redes sociais, à medida que são espaço onde os diferentes atores podem atuar. É complexo, mas de modo geral serve ao fortalecimento da democracia”, ensinou.

Ela também destacou o caráter inovador das mobilizações pelas redes sociais, que foram importantes em movimentos como o Occupy, e se mantém. Mas fez questão de frisar que é necessário, sempre, separar a rede institucional e pessoal.

Após as palestras, foi aberto espaço para os participantes fazerem perguntas e debater os temas apresentados.

O presidente do SINTTEL-RS, Gilnei Azambuja, avaliou a iniciativa. “Entendemos como muito positiva iniciativas como esta. Ela vem ao encontro da proposta de nossa gestão, de promover a qualificação e avançar na luta dos trabalhadores”, disse ele.

Assessoria de Comunicação

15/04/2021 10:49:36

O SINTTEL-RS continua distribuindo exemplares do livro “A HISTÓRIA DO SINDICATO DOS TELEFÔNICOS DO RIO GRANDE DO SUL 1939 - 2019", lançada no dia 28 de janeiro, em cerimônia mista (virtual e presencial). A obra resgata a história de lutas da categoria a partir da memória de quem participou desta caminhada, de documentos e de registros fotográficos.

Na semana passada e no início desta, já foram entregues novos exemplares no interior do Estado e na Capital.

No dia 9, o presidente do Sindicato, Gilnei Azambuja, e a Arleide, estiveram visita a Sra. Michelle, viúva do associado Ezequiel da Silva Lopes, falecido recentemente. Eles entregaram flores e o livro do Sindicato a viúva do colega.

Eles também entregaram um exemplar do livro a Dona Alvorina e sua filha Maristela, viúva do Sr, Luiz Carlos Binttencourt, o “Bitenca”, como era carinhosamente chamado por todos. Alvorina é viúva de Luiz Carlos, que também foi vítima da Covid-19 há aproximadamente seis meses e residentes em Guaíba. Na mesma visita, Alvorina, que era suplente do seu marido como representante sindical dos aposentados na cidade, aceitou o convite para ser ela mesma a representante sindical dos aposentados.

Ambas as famílias, de forma muito emocionada, agradeceram a visita e o apoio do Sindicato. As duas moram em Guaíba.

No mesmo dia, em Porto Alegre, o diretor de Comunicação do Sindicato, Marcone, entregou um exemplar ao presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci. Na dedicatória, o Sindicato destaca a importância da Central para a luta dos trabalhadores telefônicos.

O Sindicato continuará divulgando a trajetória de lutas do Sindicato através do livro e informa que exemplares também estão disponíveis nas delegacias do interior do Estado e na sede, em Porto Alegre, para quem tiver interesse em ter um exemplar.

Assessoria de Comunicação

12/04/2021 22:53:27

O SINTTEL-RS, desde o início da pandemia, vem apoiando os movimentos por vacinação de forma universal e gratuita para todos, bem como o fortalecimento do SUS. Nunca como agora durante a pandemia, ele se mostrou tão necessário e importante. Não fosse o Sistema Universal de saúde, e muito mais mortos estariam agora sendo chorados.

Por isso, o Sindicato comemora qualquer situação de vacinação, e cada um ou cada uma que esteja protegida, para a entidade, é uma vida a mais protegida. Por isso, cada dose tem que ser comemorada.

É o caso da colega e dirigente de base de Santa Maria, Juliana. Muito emocionada, e destacando um viva para a ciência, a vacina e o SUS, ela comemorou quando recebeu a primeira dose da vacina.

Ela traduz numa placa importantes lutas do Sindicato. A defesa do SUS é uma das importantes pautas que tem estado presente nas manifestações dos sindicatos e das centrais sindicais. Somente o SUS pode garantir acesso universal à saúde para todos os brasileiros e ele deve ser fortalecido. Saúde não é um direito acessível só a quem pode pagar. Por isso a defesa do SUS é uma luta de todos, como fez a representante do SINTTEL-RS.

O seu Jorge, delegado de Uruguaiana e trabalhador na Serede, também saudou o SUS por ocasião da primeira dose.

Apesar de defender intransigentemente o SUS, frente as restrições e dificuldades impostas pela irresponsabilidade e descaso do governo federal, além de um negacionismo inaceitável da ciência, que acabou por atrasar a vacina para o povo brasileiro, o Sindicato também tem buscado garantir a vacina contra a Covid-19, ao menos para os trabalhadores em serviços essenciais. Esses trabalhadores, caso dos telefônicos, tem que continuar trabalhando, ficando expostos diariamente a contaminação pelo coronavírus.

Assessoria de Comunicação

12/04/2021 22:32:23

O SINTTEL-RS participou, de forma presencial, dos atos simbólicos promovidos na quarta-feira, 7 de abril, DIA MUNDIAL DA SAÚDE. As atividades, chamadas pela CUT e demais centrais sindicais, foram realizadas no centro de Porto Alegre e em diversas cidades do Estado e do País.

Com faixas, cartazes e palavras de ordem, os manifestantes denunciaram a irresponsabilidade dos governos do presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL), do governador Eduardo Leite (PSDB) e de vários municípios, como do prefeito Sebastião Melo (MDB), defenderam vacina já para todas e todos, quebra de patentes, emprego, auxílio emergencial, geração de emprego e renda, e reforçaram a campanha pelo Fora Bolsonaro.

WhatsApp Image 2021 04 07 at 11.24.36 2

Ocupando viadutos e passarelas

Logo cedo, dirigentes sindicais estenderam faixas, cartazes e banners em viadutos e passarelas, fortalecendo as reivindicações da classe trabalhadora. Em seguida, foi organizado o primeiro ato do dia, em frente à Prefeitura da Capital. Chegou ao local carregado pelos manifestantes, um cortejo fúnebre com cruzes e um caixão em memória aos mais de 330 mil brasileiros e brasileiras que já foram vítimas do Covid-19, dentre eles mais de 20 mil gaúchos e gaúchas.

Em suas falas, os manifestantes denunciaram que as medidas adotadas pelos gestores são para servir aos interesses dos empresários. “Eles não estão nem aí para o povo e para a vida. Para eles, importa somente o lucro. Nós dizemos que a economia só vai voltar se nós tivermos vida, vacina e emprego”, disse o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci.

Os representantes de entidades da saúde também alertaram que este abre/fecha destrói a economia, sobrecarrega os hospitais e o SUS.

WhatsApp Image 2021 04 07 at 07.31.35 1

Ato em frente ao Piratini

Após os pronunciamentos das entidades e representações dos movimentos, os participantes saíram em caminhada até a Praça da Matriz, onde fizeram um segundo ato em frente ao Palácio Piratini.

WhatsApp Image 2021 04 07 at 11.24.38 1

As centrais criticaram a política do governador, que vive as cores das bandeiras do distanciamento controlado, dizendo que leva em conta as diretrizes da ciência e os números da pandemia, mas adota políticas de co-gestão com os prefeitos e recebe as federações empresariais, flexibilizando as restrições. Eles denunciaram que se trata de uma política faz-de-conta para ocupar generosos espaços na mídia que acaba colaborando com o negacionismo de Bolsonaro.

WhatsApp Image 2021 04 07 at 11.24.42 1

Assessoria de Comunicação

C/Informações da CUT-RS

07/04/2021 20:39:16

logo fitratelp 3 f01CUTA

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

O novo horário de atendimento é das 10h às 16h15.

Este horário é emergencial, devido a pandemia.

Estamos à disposição dos trabalhadores, caso necessitem de informações ou qualquer outra questão, podem enviar email para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou por telefone, pelo número (51) 3286.9600.

Atenciosamente,

Direção SINTTEL-RS