A CUT repudia e contesta a extinção do Ministério de Trabalho anunciada na tarde desta quinta-feira (7) pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. Se não for mais uma bravata, a medida representa mais um desrespeito à classe trabalhadora e um serviço aos patrões. Fechar um espaço institucional, em nível de governo, de discussão, balizamento e regulação das relações capital-trabalho significa fechar um canal de expressão dos trabalhadores.

Ao fazer esse anúncio em meio a uma coletiva de imprensa genérica e sem apresentar nenhuma informação sobre o destino que dará a toda estrutura técnica sob o guarda-chuva do ministério, Bolsonaro revela seu total desprezo aos trabalhadores, trabalhadoras e ao mundo do trabalho.

O MT, que em 26 de novembro completa 88 anos, é essencial à classe trabalhadora, ainda mais após a nefasta reforma trabalhista aprovada pelo governo ilegítimo de Michel Temer, que rasgou a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Em um País com quase 13 milhões de desempregados e 43% dos trabalhadores e trabalhadoras na informalidade, a única razão para tal medida é a perseguição à classe trabalhadora e às instituições que a representam.

Com a extinção, os patrões ficarão livres para descumprir as leis, porque é o Ministério do Trabalho que fiscaliza, coíbe e pune abusos por parte dos empresários contra trabalhadores na cidade e no campo. Fiscaliza o trabalho escravo, hoje flagelo de 370 mil brasileiros e brasileiras. Resgata trabalhadores dessa “escravidão moderna” – foram 341 resgatados em 2017, queda brutal em relação a 2015 (1.010), porque Temer cortou investimentos.

O Ministério do Trabalho também fiscaliza o registro profissional, o cumprimento de direitos como férias, 13º salário, coíbe a jornada abusiva, faz a gestão do FGTS, do Sine (Sistema Nacional de Emprego), além de ser o responsável pelo salário desemprego.

O fechamento do MT abre o caminho para o próximo governo fechar também a Justiça do Trabalho.

Vagner Freitas, presidente nacional da CUT

ASSISTA AQUI AO VÍDEO DO PRESIDENTE DA CUT

Vagner

O SINTTEL-RS, com o empenho e dedicação de todos os seus dirigentes e representantes sindicais, tem  garantido novas sindicalizações a cada semana. Os dirigentes têm levado aos trabalhadores a importância do fortalecimento de sua entidade sindical e as vantagens de ser sindicalizado.

Uma delas é a adoção do cartão de descontos da parceria do Sindicato com a Masterclin que proporciona redução importante em centenas de produtos e serviços para os sindicalizados e seus dependentes, em todo o país. Os descontos cobrem em muitas vezes o valor que o trabalhador paga mensalmente à entidade.

Nesta semana, já foram feitas sindicalizações dos trabalhadores na EQS Porto Alegre, pelo diretor Chiquinho e nas lojas da Vivo de Novo Hamburgo, pelo diretor Losekann.

O Sindicato continuará na sua meta de aumentar o número de sindicalizados, como forma de manter a entidade financeiramente e garantindo a estrutura e as condições para os enfrentamentos necessários à defesa dos direitos e das conquistas das trabalhadoras e dos trabalhadores telefônicos.  

Assessoria de Comunicação

07/11/2018 17:41:13

No dia 1º de novembro, dirigentes do SINTTEL-RS estiveram reunidos com o representante da Masterclin, para fechar convênio com o Instituto Avançar e todos os seus convênios com terapeutas e cursos oferecidos pelo Instituto (cuidadores, NR-10, fibra, eletricidade básica, inclusão digital e aulas de inglês particulares).

O objetivo é aumentar a movimentação no Instituto dos associados do SINTTEL, e outros conveniados da Masterclin, bem como atrair novos sindicalizados para o SINTTEL, com a definição de descontos especiais para a Masterclin, divulgado em seu site. São mais de 30 opções de convênios com os parceiros do Instituto Avançar.

Nos próximos dias, os serviços prestados no Instituto Avançar constarão no site da Masterclin e também será colocado um banner, para divulgar e acompanhar as visitas de sindicalização que estão sendo promovidas pelo Sindicato.

Assessoria de Comunicação

06/11/2018 15:44:47

Dirigentes do Instituto Avançar entregaram, na tarde do dia 31 de outubro, os certificados aos trabalhadores do Projeto Empregar que participaram do curso de FTTH de 88 horas.

Estiveram presentes ao ato o presidente do SINTTEL-RS, Gilnei Azambuja, e os diretores Adolfo, Flávio e Cleber, além do professor Joel e o representante da empresa Marconi, Sr. Leandro.

Segundo o presidente do SINTTEL-RS, este curso é inédito e atende aos trabalhadores ex-desempregados, através de uma parceria com a Serede e ministrado pela Marconi. No total foram entregues 30 certificados, onde 90% já estão contratados pela Serede, iniciando suas atividades no dia 5 de novembro.

NOVAS SINDICALIZAÇÕES

Também no dia 31 de outubro, em visita de rotina dos dirigentes do Sindicato à empresa Telefonica-Vivo, foram realizadas 11 novas sindicalizações. Os dirigentes destacam a importância destas sindicalizações, no sentido de fortalecer a luta da categoria e, também, de renovar o quadro de associados da entidade.

Assessoria de Comunicação

06/11/2018 00:01:59

logo fitratelp 3 f01CUTA

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.