Negociação com a CLARO inicia sem nada de novo

Como já era esperado, a primeira reunião de negociação com a CLARO para tratar do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2021/2023 não teve nada de novo.

A empresa se limitou a apresentar o cenário de conjuntura atual do País, destacando o baixo PIB em 2021 e a mesma projeção para 2022, que deve manter a inflação alta, o dólar impactando os insumos, a pandemia impactando o cenário econômico e o alto número de desempregados.

Também frisou os problemas relacionados a perda de receita na parte de TV por assinatura, devido, principalmente, à pirataria, entre outros, e destacou que mesmo que o cenário e os indicadores mostrem os bons números da empresa, segundo ela, no geral, a receita está "andando de lado".

Quanto a proposta, nada foi apresentado e a empresa espera a próxima reunião, agendada para dia 15/10, para dar andamento na pauta. Segundo os representantes da CLARO, a sua expectativa é que consigam chegar a um entendimento com as representações dos trabalhadores.

Indignação e frustração

Os representantes da CNN/FITRATELP demonstraram sua indignação e frustração pelo fato de a empresa não trazer para a reunião nada de novo para apresentar à Comissão. Lembraram que a pauta tem muitos e importantes pontos na pauta, tendo em vista que, neste ano, está sendo negociada a renovação de todas as cláusulas (econômicas e sociais).

Além disso, tem a questão do Trabalho Remoto (HomeOffice) e do PPR 2021, que teve apenas uma reunião, mas sem avanços.

A empresa sinalizou que quer negociar os três assuntos de forma unificada. A representante dos trabalhadores da CLARO no RS, Adriana, lembrou a empresa que a negociação do PPR sempre foi feita à parte da negociação do Acordo Coletivo. Que apesar de não haver prejuízo aos trabalhadores em termos de valores do Programa, trazê-lo atrelado à negociação do Acordo, acaba "turbinando" a proposta e "atrapalhando" para uma melhor análise dos trabalhadores, na hora de decidirem em assembleia. Reiterou, ainda, sua fala da última reunião, quando pediu que a empresa respeitasse a data base e não empurrasse as negociações para o final do ano. Lembrou aos representantes da empresa, que já faz anos que a empresa traz o mesmo contexto da conjuntura do país, para não aplicar sequer o INPC integral nos salários e benefícios e que, naquele contexto, não existia a pandemia. “No ano passado tivemos reajuste zero e apenas um abono salarial”, destacou. Por fim, reforçou que a expectativa é que a empresa apresente algo conciso, algo realmente NOVO, para essa negociação. 

Os demais membros da Comissão também externaram a sua frustração quanto a esse primeiro encontro (virtual) sem proposta e concordaram com as falas dos demais representantes dos trabalhadores a respeito do tema e postura da empresa.

“Esperamos realmente que a empresa tenha analisado a pauta e traga uma proposta adequada para apresentar à comissão”, alertaram eles.

Trabalhador na CLARO. Sindicalize-se! Fortaleça essa negociação, apoie o Sindicato que defende seus interesses!

Assessoria de Comunicação

04/10/2021 12:30:23

logo fitratelp 3 f01CUTA

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.