SETEMBRO AMARELO, mês de prevenção do suicídio

Setembro, chamado também de SETEMBRO AMARELO, é o mês mundial de prevenção do suicídio e se constitui num período importante para dar visibilidade ao problema, que durante muito tempo foi tratado com um tabu. O principal objetivo da campanha é a conscientização sobre a prevenção do suicídio, buscando alertar a população a respeito da realidade da prática no Brasil e no mundo.

Durante todo o mês, entidades, instituições, órgãos governamentais nacionais e internacionais, através de imagens, palestras, símbolos, distribuição de folhetos, fortalecem as campanhas de prevenção do suicídio.

O SETEMBRO AMARELO é uma campanha criada com o intuito de informar as pessoas sobre o suicídio, uma prática normalmente motivada pela depressão. Mesmo com tantos casos notórios, crescentes a cada ano, ainda existe uma expressiva barreira para falar sobre o problema.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), apontam que mais de 800 mil pessoas tiram a própria vida todos os anos, sendo 75% destes indivíduos moradores de países de baixa e média renda. Estima-se que no mundo acontece um suicídio a cada 40 segundos. No Brasil, ocorrem 32 suicídios, o que dá uma morte a cada 45 minutos. Atualmente, o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens com idades entre 15 e 29 anos.  

Todos esses números poderiam ser evitados ou reduzidos consideravelmente se existissem políticas eficazes de prevenção do suicídio. Daí a importância da campanha.

A ORIGEM DA DATA

A campanha SETEMBRO AMARELO teve início no Brasil, em 2015, pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). As primeiras atividades realizadas pelo SETEMBRO AMARELO aconteceram na capital do país, Brasília. Entretanto, já no ano seguinte várias regiões de todo o país aderiram ao movimento e também participaram.

O ponto alto do mês é o dia 10, quando é celebrado o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. O dia foi criado em 2003 pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e pela Organização Mundial de Saúde, com o objetivo de prevenir o ato do suicídio, por meio da adoção de estratégias pelos governos dos países.

Se você está deprimido ou angustiado, ou conhecer alguém com estes sentimentos, sem vontade de viver, é fundamental buscar ajuda o mais rápido possível. Existem alternativas ao suicídio e buscar o auxílio adequado é o primeiro passo. Os acompanhamentos médicos e psicológicos são as maneiras mais eficazes de tratamento.

As pessoas que pensam em suicídio normalmente estão tentando fugir de uma situação da vida que lhes parece insuportável, buscando o alívio.

COMO AJUDAR:

Para ajudar uma pessoa com comportamentos suicidas, algumas ações são fundamentais:

  • ouvir, demonstrar empatia e ficar calmo;
  • ser afetuoso e dar o apoio necessário;
  • levar a situação a sério e verificar o grau de risco;
  • perguntar sobre tentativas de suicídio ou pensamentos anteriores;
  • explorar outras saídas para além do suicídio, identificando outras formas de apoio emocional;
  • conversar com a família e amigos imediatamente;
  • remover os meios para o suicídio em casos de grande risco;
  • contar a outras pessoas, conseguir ajuda;
  • permanecer ao lado da pessoa com o transtorno;
  • procurar entender os sentimentos da pessoa sem diminuir a importância deles;
  • aceitar a queixa da pessoa e ter respeito por seu sofrimento;
  • demonstrar preocupação e cuidado constante.

Jamais ignore a situação de uma pessoa com comportamentos e pensamentos suicidas. Não entre em choque, fique envergonhado ou demonstre pânico. Não tente dizer que tudo vai ficar bem, diminuindo a dor da pessoa, sem agir para que isso aconteça. A principal medida é não fazer com que o problema pareça uma bobagem ou algo trivial.

Assessoria de Comunicação

16/09/2021 18:27:42

logo fitratelp 3 f01CUTA

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.