Vida longa ao SINTTEL-RS e ao Instituto Avançar, com luta e qualificação

Uma cerimônia virtual marcou, dia 19 de julho, os 80 anos do SINTTEL-RS e os 9 anos do Instituto Avançar. A atividade contou com uma mesa presencial, com dirigentes da entidade, e uma mesa virtual, com participantes de diversas entidades parceiras do Sindicato na sua trajetória. Todo o evento foi transmitido ao vivo pelo Facebook da entidade, proporcionando que a categoria e companheiros de luta participassem desta data comemorativa.

Antes de dar a palavra aos convidados, o Sindicato apresentou trecho de um vídeo de um dos momentos marcantes e de grande emoção nesta caminhada, quando os trabalhadores telefônicos, tendo à frente o companheiro Jurandir, ocuparam a Assembleia Legislativa, no governo Britto, e entregaram milhares de assinaturas contra a privatização da CRT e do Sistema Telebrás.

80 anos 2

QUALIFICAR O TRABALHADOR

Em seguida, o presidente do Instituto Avançar, Cleber Anderson, falou sobre os 9 anos da entidade, reiterando o objetivo que vem desde sua criação, que é qualificar o trabalhador. Segundo ele, a iniciativa foi inspirada no instituto criado pelo Sindicato dos Metalúrgicos e que já estava em funcionamento, somado a um momento de demissões, quando o SINTTEL-RS buscava uma forma de ajudar estes trabalhadores e entendeu que a qualificação, naquele momento, era fundamental para uma recolocação.

“Em 2012 tivemos a iniciativa de criar o Instituto com objetivo de promover a qualificação dos telefônicos. Hoje, mais de 800 trabalhadores já passaram em cursos de qualificação, na sua grande maioria totalmente gratuito, em parcerias com outras instituições. Mas ainda temos muito a caminhar e a crescer para favorecer ainda mais a categoria”, pontuou ele.

SEMPRE PRESENTE

Em sua fala, o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci, saudou a categoria e a direção do Sindicato pela data e destacou que o SINTTEL-RS está sempre presente nas atividades. Falando sobre o atual momento, o dirigente cutista lembrou que assim como se faz a história, também a história se desfaz rapidamente, como vem acontecendo no Brasil do governo Bolsonaro e no RS sob o governo do lei, que estão destruindo tudo que foi conquistado pela classe trabalhadora. Segundo ele, o governador Eduardo Leite (PSDB) vem fazendo com a CEEE, Corsan e Banrisul, o que o Britto fez com a CRT.

Por isso e por tudo que os telefônicos representam na luta contra as privatizações, convidou a entidade a integrar o Comitê do Plebiscito Popular, criado por um conjunto de entidade, e que propõe o debate e a consulta à população gaúcha sobre a venda de empresas públicas. “Seguimos na luta e nesta luta não basta tirar o Bolsonaro. Temos que tirar este genocida e construir uma sociedade que entenda que precisamos de um país justo. Vamos andarilhando e no andarilhar vamos achar o caminho”, frisou ele, citando Paulo Freire.

NÃO PODEMOS FALAR NAS ENTIDADES SEM LEMBRAR OS SERES HUMANOS

Presente a atividade, o presidente da Associação dos Aposentados da CRT (AACRT), Newton Lehugeur, saudou as entidades aniversariantes e lembrou que a Associação e o Sindicato sempre tiveram uma excelente parceria, hoje fortalecida pelo GINP. Mas, disse ele, “não podemos falar nas entidades sem lembrar dos seres humanos que nelas atuaram e ainda atuam”, acrescentou citando alguns nomes, como do Jurandir, Sargento e Itamar, entre outros. Frisou que neste momento, em que os governos tentam de todas as formas acabar com os sindicatos, é fundamental que os trabalhadores se filiem. “A contribuição individual é pequena, mas no conjunto faz a diferença”, disse ele, desejando longa vida às entidades.

80 ANOS NÃO SÃO 8 DIAS DE RESISTÊNCIA

A presidente da Fetapergs, Ana Albernaz, destacou a longevidade do Sindicato. “80 anos não são 8 dias de resistência”, disse ela lembrando a longa trajetória de luta da entidade. Ela também parabenizou o Instituto Avançar, uma entidade mais nova, mas que também está a caminho de grandes vitórias. Ana finalizou sua fala, lendo um trecho do livro que conta a história dos 80 anos do Sindicato, lançado em janeiro deste ano.

IMPORTANTE PARA TODO O BRASIL

Em sua fala, o presidente da Fitratelp, João de Moura Neto, destacou a importância da entidade para a luta dos trabalhadores em todo o Brasil. “Enfrentamos um desafio muito grande, talvez o maior destes 80 anos. Estamos sofrendo muitos ataques, mas não vamos renunciar à luta. Os trabalhadores estão padecendo muito, com as reformas, que afetam diretamente o mundo do trabalho e a vida dos trabalhadores. O resultado é mais e 14 milhões de desempregados, precarização crescente, ataque frontal às entidades sindicais e diretamente aos direitos dos trabalhadores”, acrescentou ele, destacando a importância do Sindicato permanecer em sua caminhada.

Neto avaliou, ainda, que na torrente de ataques aos trabalhadores, a categoria tem um de seus momentos mais terríveis. Para ele, há cada vez mais precarização, pulverização das prestadoras de serviços e mais agressão direta à categoria. “Todos estão acompanhando o que está acontecendo com a Oi e, ao mesmo tempo que temos as telecomunicações com mais capilaridade, depois virá a concentração e onde as grandes empresas, os grandes conglomerados de provimento de internet vão abocanhar todas as pequenas e vamos ver o desemprego, a precarização como tônica e a terceirização como atividade principal. Por isso, nunca um sindicato foi tão necessário à classe trabalhadora como agora. Estes 80 anos de bons exemplos vai servir de combustível para concentrar nossas atividades na defesa desta calasse oprimida e ainda mais explorada como estamos presenciando na pandemia”, finalizou como um alerta.

NÃO PODEMOS NOS ACOSTUMAR COM O ABSURDO

O presidente da Fittel, Brígido Ramos, saudou as entidades que estavam fazendo aniversário e lembrou a participação do SINTTEL-RS na construção da Fittel, a criação da Fitratelp e destacou que o movimento cutista gaúcho foi exemplar. “Não é um sindicato apenas de luta trabalhista, mas é um exemplo de sindicato que disputa o espaço político. A luta sindical se faz e todos os campos, se faz também como cidadão e este é um grande exemplo do SINTTEL-RS deixa e tenho orgulho de ser um companheiro de luta, passo a passo, ombro a ombro com esta entidade”, frisou.

GUERREIROS E GUERREIRAS QUE CONSTRUÍRAM ESTA HISTÓRIA

A deputada federal Maria do Rosário (PT/RS), saudou a diretoria das entidades e os trabalhadores e base, da ativa e aposentados e lembrou que o momento era de homenagear os guerreiros e guerreiras que construíram esta história. “Eu venho da luta sindical e penso que a história de lutas do movimento sindical e que o SINTTEL-RS carrega, formou muita gente”. Rosário resgatou um pouco da história da CRT com o Brizola, as perseguições durante a ditadura e a luta para restabelecer a democracia e destacou que hoje, vivemos lutas semelhantes, com um governo que ataca os direitos do povo, a liberdade, a democracia, o respeito aos seres humanos, a solidariedade às famílias dos que perderem alguém para a Covid-19. E acrescentou: “Não podemos nos acostumar com o absurdo. Precisamos fortalecer o SUS, a pesquisa, a ciência, a soberania nacional, as novas tecnologias, as comunicações” frisou, se colocando à disposição para continuar junto com os telefônicos em suas lutas.

SINDICATO COMBATIVO

Participando através de uma mensagem em vídeo, o senador Paulo Paim (PT/RS) também parabenizou a categoria e o Sindicato e reiterou a alegria de comemorar os 80 anos de um sindicato combativo, fundado ainda no governo de Getúlio Vargas, e os 9 anos do Instituto Avançar. Para o Senador, nestes 80 anos de lutas junto aos trabalhadores, o sindicato nunca dobrou os joelhos frente a ditadura, participou dos movimentos como das Diretas Já e em muitas lutas de todos os brasileiros. “O SINTTEL-RS atravessou décadas garantindo bases sólidas, na década de 90 lutou contra o desmonte da CRT e só posso parabenizar todos os trabalhadores telefônicos e telefônicas atentos ao futuro do país, liderados por um sindicato que evolui ao longo de décadas com lutas e vitórias. Vida longa ao SINTTEL-RS”, desejou ele.

TESTEMUNHAS E PARTE DE UMA CAMINHADA

Convidada a falar, a deputada estadual Sofia Cavedon (PT/RS), lembrou que em 1956 o SINTTEL-RS já tinha a sua primeira mulher na diretoria e saudou os dirigentes pela data. “Vocês são testemunhas e parte desta caminhada, parte da história de resistência e de construção dos direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores e hoje continuam na resistência que se construiu desde Getúlio Vargas”.

A parlamentar acrescentou que hoje o país vive um período de hegemonia neoliberal, com a venda de empresas e de retirada de todos os direitos dos trabalhadores, de acabar com salários e condições de trabalho. E o SINTTEL-RS, destacou, compreendeu estas mudanças, está investindo em qualificação, o que as empresas não fazem colocando a vida dos trabalhadores em risco, lutando pela vacina, enfrentando um governo genocida.  “Temos que fortalecer esta importante ferramenta de luta que é o sindicato e vamos estar na luta de resgate de todos os direitos que nos tiraram. Longa vida ao SINTTEL-RS e ao Instituto Avançar”.

 

Representante a ANAPAR, o diretor Itamar Prestes Russo frisou o trabalho para construir um sindicato cidadão, que cresceu em cidadania, respeito e amor ao próximo, assim como o Instituto Avançar, que nasceu numa época de demissões e entrega de estatais para organizar cursos de formação não só técnica, mas de crescimento pessoal e profissional. Continuou lembrando que “somos todos companheiros de luta, de brilho, em defesa do trabalhador, e neste quase um século de luta contra os desgovernos, que só tiram direitos dos trabalhadores, só não estamos piores porque temos entidades como o SINTTEL-RS, que trabalha e busca o melhor para os trabalhadores, para comunidade”.

Antes de encerrar as falas, o diretor de Comunicação do Sindicato, Marcone Santana do Nascimento disse que a direção também aprende muito com os trabalhadores e reiterou que o trabalho do Sindicato só será positivo com os trabalhadores unidos, sintonizados com a entidade. “Mesmo uma pandemia, estamos com o Sindicato em pleno funcionamento, atendendo em regime de plantão, participando dos acordos coletivos, isso é fruto do comprometimento desta diretoria na luta por melhorias para a família telefônica”, assinalou

Encerrando a atividade, o presidente do SINTTEL-RS, Gilnei Porto Azambuja, frisou que a entidade tem uma diretoria coesa, que representa todos os segmentos, aposentados, pensionistas, trabalhadores da ativa, e que está constantemente se modernizando. “Vamos continuar lutando para o SINTTEL-RS chegar aos 100 anos”.

Por fim, prestou a homenagem da entidade aqueles que, segundo ele, são os verdadeiros atores desta trajetória de 80 anos, que é a categoria dos telefônicos do RS e motivo do todos estarem vivendo este momento. “A luta é no dia a dia e temos que vencer este período difícil, com uma crise humanitária, onde pereceram mais de 550 mil brasileiros e continuar a luta em defesa dos trabalhadores telefônicos em especial e da classe trabalhadora no geral. Uma coisa não está dissociada da outra”. Ao final, ele também cumprimentou os trabalhadores do Sindicato, cujo apoio tem sido fundamental nesta caminhada.

Durante as falas, foram apresentados vídeos lembrando algumas das grandes lutas da categoria, como a greve da RM, da Contax e o ato em frente à Prefeitura de Porto Alegre.

Assessoria de Comunicação

20/07/2021 15:31:41

logo fitratelp 3 f01CUTA

Rua Washington Luiz, 572 - Centro, Cep 90010-460 Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

O novo horário de atendimento é das 10h às 16h15.

Este horário é emergencial, devido a pandemia.

Estamos à disposição dos trabalhadores, caso necessitem de informações ou qualquer outra questão, podem enviar email para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou por telefone, pelo número (51) 3286.9600.

Atenciosamente,

Direção SINTTEL-RS